Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2014

Pra hoje

Me perdoando.

Ouvi do ex, me deixe em paz... vc me expôs.

Foi quando eu, serenamente, respondi, agradeça que a minha sanidade volto e não continuo. Quando falo de mim, nao estou a expor so outra pessoa, estou a me expor. E sempre é mais fácil acusar o próximo do que assumir o que precisa mudar.

Mudar a si mesmo, doi. Como ser feliz!

E eu resolvi por essa mudança e tá doendo, tá doendo pra caramba... mas eu quero isso pra mim, quero mesmo ser feliz, quero ter uma relação saudável. E uma hora vai vir.

Pedi as minhas roupas, não respondeu. Ironizei e dei um aloha (toda sorte do mundo).

Só por hoje, posso mudar a mim e o outro é outro. Quero me preocupar com quem precisa... tanta gente né?

Então, força!

Aloha!

Perdão

Serena e trabalhando o perdão.

Só por hoje.

Novo dia

Mantendo a serenidade, mesmo quando dá aqueles apertos... a vontade de olhar o face, mantenho a serenidade.

Para que ir ver algo, que pode ser mentira e vai te machucar? Não mais, meu foco é cuidar de mim agora. Somente a mim.

Sexta, entreguei algo dele que era importante, uma page. No sábado, eu avisei que estava fora do ar a page e ele foi extremamente agressivo, gritando comigo e eu mantinha a voz baixa. Quanto mais eu fazia isso, ele gritava.

Até que ouvi dos pais dele dizendo: Chega e Isso é uma doença. Juro que doeu, eu não estava falando nada. E o que ele dizia era, eu nao quero nada com vc e vc nao entende?

Gente, eu terminei com ele. Eu que me afastei. Ignorei e desliguei o telefone.

Quem me liga logo depois? Ele.

- Meus pais sairam, posso falar com vc. Arrumei a page!

E eu:

- Não acredito que voce me ligou para isso? Ele: tbm, eu quero saber quem é que está dando encima de vc.

Cara, desliguei o telefone, falei que nao volto para ele de forma alguma e fui viver.

Um dia de cad…
" Nenhum relacionamento pode salva-la da dor de sua história. Até conseguir superar a dor, você simplesmente repetirá a história."

Passos para vencer!

1.Admitimos que éramos impotentes perante os relacionamentos e que tínhamos perdido o domínio sobre nossas vidas.

2.Viemos a acreditar que um Poder Superior a nós mesmas poderia devolver-nos à sanidade.

3.Decidimos entregar nossa vontade e nossa vida aos cuidados de Deus, na forma em que O concebíamos.

4.Fizemos minucioso e destemido inventário moral de nós mesmas. -> Estou nesse passo.

5.Admitimos perante Deus, perante nós mesmas e perante outro ser humano, a natureza exata de nossas falhas.

6.Prontificamo-nos inteiramente a deixar que Deus removesse todos esses defeitos de caráter.

7.Humildemente rogamos a Ele que nos livrasse de nossas imperfeições.

8.Fizemos uma relação de todas as pessoas a quem tínhamos prejudicado e nos dispusemos a reparar os danos a elas causados  -> Estou nesse passo.

9.Fizemos reparações diretas dos danos causados a tais pessoas, sempre que possível, salvo quando fazê-las significasse prejudicá-las ou a outrem. -> Estou nesse passo.

10.Continuamos fazendo o…
Bom dia!

Ontem, eu li bastante sobre a codenpedencia, foi uma releitura. Isso de nos darmos alta é muito complicado.

Tive um dia muito bom, iniciando a reparação com outras pessoas e o melhor comigo mesmo. O femininismo de certa forma, me ajuda a entender melhor isso.

Separei o livro: Mulheres que amam demais e acreditem, acho que li umas 50 folhas durante todo esse tempo, brincadeira né? rs Me aceitar e aceitar que tenho essa doença é o passo principal e que ela é progressiva, sim, progressiva. Desabafar, falar, escrever, procurar uma terapia, dar relatos, apoiar outras pessoas como vc. Somente apoiar! Sem essa de querer fazer o que eles querem.

Uma das coisas que mais "emputeceu" meu ex, foi o fato de expor a sua doença. E tudo existe um fato, querer mudar. Ele até agora nao quis mudar. Por isso as várias recaídas, mesmo com toda internação.
E hoje acordei com uma msg de uma companheira, sobre um guri com o mesmo nome dele. Pensei q fosse, sabe. O guri pensava em suicidio…

CARACTERÍSTICA DE UMA MULHER QUE AMA DEMAIS

Robin Norwood Vem de um lar desajustado, em que suas necessidades emocionais não foram satisfeitas. Como não recebeu um mínimo de atenção, tenta suprir essa necessidade insatisfeita através de outra pessoa, tornando-se superatenciosa, principalmente com homens aparentemente carentes. Como não pode transformar seus pais nas pessoas atenciosas, amáveis e afetuosas de que precisava, reage fortemente ao tipo de homem familiar, porém inacessível, o qual tenta, transformar através de seu amor. Com medo de ser abandonada, faz qualquer coisa para impedir o fim do relacionamento. Quase nada é problema, toma muito tempo ou mesmo custa demais, se for para "ajudar" o homem com quem esta envolvida. Habituada à falta de amor em relacionamentos pessoais, está disposta a ter paciência, esperança, tentando agradar cada vez mais. Está disposta a arcar com mais de 50% da responsabilidade, da culpa e das falhas em qualquer relacionamento. Sua auto-estima está criticamente baixa, e no fu…

Só por hoje

Relendo as postagens antigas. Meus comportamentos são tão repetidos, mente ansiosa e obssessiva. Meta de hoje: so por hoje! Meta da semana: ficar até 19/10 focando em mim, mudando o foco qdo pensar nele e nao falar com ele ou pessoas do meio, evitando lugares que ele anda. Tamo Junto, pessoal!

De volta ao blog!

Nossa, quanto tempo sem escrever! Quanto tempo sem expor os pensamentos, sem ter contato com vcs. Durante o último ano, me envolvi com um cara, amor a primeira vista. Super sedutor, inteligente, culto, carinhoso. O cara que eu nunca tive sabe? Iniciei indo a casa dele e depois eu já estava morando com ele. Não me atentei ao que era claro: era controlador, bebia pra caramba e eu achava que não, dizia que não usava drogas mais, mas usava escondido. Eu passei a bancar a casa, a bancar ele. Ele não tinha roupas decentes, eu passei a comprar as roupas para que ele andasse bonito ao meu lado, etc. E durante esse tempo, eu esqueci de mim. Achava que eu era uma sortuda em ter "aquele" cara comigo: lindo, culto, filho de sangue azul. Até que começaram os problemas sérios: ciumes sem medida, controle altissimo, tinha medo até de olhar ao lado. Eu era refem daquele pseudo casamento. Com isso, a bebida. A bebida era algo presente, a cocaina, o crack, a maconha. Quando dei um …